Tênis Masculino e Feminino em Ouro Preto do Oeste / Rondônia




Buscando por tênis em Ouro Preto do Oeste?

Você acabou de encontrar!



Nós da Adaption sabemos que Ouro Preto do Oeste é uma cidade de pessoas que valorizam o bem estar.

Foi pensando nisso que desenvolvemos toda a linha de produtos Adaption.

Estudos mostram que comodidade nos pés faz toda a diferença.

Você sabia que um calçado confortável pode diminuir o estresse corporal e melhorar o seu humor?

Legal neh? Através de nossos produtos Adaption, você terá um experiência indescritível!

Quem já conhece nossos produtos sabe de toda a qualidade e durabilidade de cada um deles, e quem não conhece, precisa conhecer, afinal, só a Adaption oferece uma variedade incrível de tênis masculino, feminino, blusas, chinelos, entre outros, que agradam a todos os gostos e não decepcionam nos quesitos resistência e durabilidade.

Temos modelos incríveis e para todos os gostos!

Nós garantimos uma entrega segura e rápida em Ouro Preto do Oeste!

Oferecemos um processo bem simples e rápido de troca/devolução, caso precise.

Boas compras!

https://www.adaption.com.br


Conheça um pouco mais sobre  Ouro Preto do Oeste Rondônia:

Gentílico: ouro-pretense

Histórico

A história do município de Ouro Preto do Oeste é, praticamente, a história da colonização de Rondônia.
A colonização oficial de Rondônia teve início em 1968, quando o Ministério de Agricultura se interessou pela colonização da Amazônia Legal. Naquele ano, chegaram ao então Território Federal de Rondônia os técnicos do Instituto Brasileiro de Reforma Agrária (IBRA), com a atribuição de localizar na BR 364 uma implantação de novos projetos de colonização.
Por conta das suas terras de solo fértil, foi escolhido um local às margens do igarapé Ouro Preto, na BR-364, distante 40 km da atual cidade de Ji-Paraná. Nascia, assim, o Projeto Integrado de Colonização Outro Preto, ou simplesmente, PIC Ouro Preto.
O local de instalação do projeto pertencia ao seringal Ouro Preto, de propriedade do seringalista Vicente Sabará Cavalcante. O projeto já envolvia outros seringais, como: a Boa Vista, Santa Rosa, Aninga, Curralinho, Miolo, Santa Maria e o seringal Raimundo Pequenino.
A ocupação demográfica, que antes da instalação do projeto era mais moderada, a partir de sua implantação, em 1970, começou a intensificar-se, inicialmente, nas margens da estrada e depois ao longo das vicinais abertas pelo INCRA, pelas Secretarias de Agricultura e de Obras, do então território, pela Prefeitura de Porto Velho, e ainda pela ação desbravadora e participativa dos colonos.
O plano inicial do INCRA previa uma capacidade de atendimento a duas mil famílias, mas, em 1973, já contava com mais de três mil, cada uma delas assentadas em lotes de 100 hectares de terras. O total de migrantes que se dirigiram a Ouro Preto em mais de três anos, foi calculado em cerca de 25 mil pessoas.
O nome Ouro Preto, já adotado pela população, advém do fato de terem os técnicos do IBRA, no início da colonização oficial, identificado um tipo de solo roxo escuro, que eles denominaram ouro preto modal. O acréscimo do Oeste foi necessário para diferenciar de outro nome já existente no Estado de Minas Gerais.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Ouro Preto, pelo Decreto Federal n.º 6.448, de 11-10-1977, subordinado ao Ji-Paraná.
Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o distrito de Ouro Preto, figura no município de Ji-Paraná.
Elevado à categoria de município com a denominação de Ouro Preto do Oeste, pela Lei n.º 6.921, de 16-06-1981, desmembrado de Ji-Paraná. Sede no atual distrito de Ouro Preto (ex-localidade). Constituído do distrito sede. Instalado em 1981.
Em divisão territorial datada de 1983, o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.